Mercado do Vinho continua em alta no Brasil

Adão Morellatto

11/07/2012

A análise dos dados de mercado, elaborada pelo consultor Adão Morellatto mostra dados bastante otimistas sobre a evolução do mercado do vinho no Brasil. Confira o desempenho dos principais países produtores e seu desempenho entre Janeiro e Junho de 2012.

"No meio do caminho havia uma pedra............."
 
Ainda é cedo e prematuro para refletir quais serão os resultados que poderá ocorrer após as análises e considerações dos órgãos responsáveis pela aplicação ou não da Salvaguarda, o certo é que nosso segmento continua em escala de crescimento, o que é gratificante e satisfatório, dado a sua característica monetaria, em que o câmbio apresentou entre Dezembro de 2011 até o Junho deste ano, período este de análise, uma valoração de 10,6%.
 


Entre Janeiro e Junho de 2012, o segmento de Vinhos Importados (somente vinhos finos) aqui não entram as categorias de Vinhos Espumantes e champanhe para uma melhor interpretação, cresceu 14,93% em valor e 12,61% em volume, evidenciando como nos anos anteriores, uma valoração em detrimento do crescimento quantitativo. Esta análise é comparativa com o 1º semestre de 2011.

 
 Quanto a performance dos players, assim se posicionaram:
 
1º - CHILE = Já há alguns anos, já dita as regras mercadológica's, com sua exponencial participação, fazendo presença de forma vertiginosa e pródigas, com várias empresas de grande e médio porte atuando com penetração e influência em larga escala, participa neste semestre com 36,63% em valor e 41,46% em volume, mesmo valorando seus vinhos em 2,96%.
 
2º - ARGENTINA = Embora apresentando uma ligeira queda de 5,28% em volume, porém com uma excepcional valoração de 13,31%, houve um crescimento de 7,63% em valor. Definitivamente, os brasileiros descobriram o grande potencial de seus vinhos mais elaborados e mais finos para o mercado brasileiro. Com maior preço e mais qualificados, seus vinhos são em média 22,37% mais caros que os exemplares chilenos.
 
3º - PORTUGAL = Caminha na média do crescimento geral, participando com 14,09% em valor (idêntico ao mesmo período de 2011) e com 13,62% em volume, deixando claro que houve um redução nos custos de vinhos oriundos do país em quase -17,85%. Sinais da crise na Europa? Pode ser, saberemos com mais exatidão ao longo do ano de 2012.
 
4º - ITÁLIA =  apresentou uma queda de -11,41% em valor e de -15,07% em volume. Estou verificando na origem se esta performance se manifesta da mesma maneira em outros mercados ou se é um caso específico para o Brasil. Respectivamente participa com 10,67% de valor e de 13,49% em volume. 
 
5º - FRANÇA = Em linha de crescimento com o mercado, com participação de 7,31% em valor e de 3,53% em volume e também apresenta uma pequena queda na média de preços com -3,77%, com preço médio de USD 5,67.
 
6º - ESPANHA = Creio que não é somente no futebol que a "Fúria" tem conquistado méritos e glórias, por aqui também, os espanhóis têm apresentado resultados dignos de sua qualidade e competência, neste semestre apresentam um crescimento de 20,33% de valor e de 45,15% em volume, mesmo com uma queda no custo médio de -20,63%. Ainda é incipiente sua participação: 4,71% em valor e de 3,55% em volume.

 
7º - DEMAIS PAÍSES:  Especial atenção para alguns países neste quadro, é o crescimento da Africa do Sul, com 146%, Grécia com 167,85%, Uruguai com 60,50% e Estados Unidos com 44,44%.
 
 
"Análise de minha inteira e total responsabilidade, estando permitido sua divulgação, informação e publicação, na integralidade, sem mudanças do conteúdo". (Adão Morellatto)


INTERNATIONAL CONSULTING
ADÃO AUGUSTO A. MORELLATTO

Telefone: 55 11 4419.2286
Celular: 55 11 7361.4333
MSN: adao.morellatto@hotmail.com
Skipe: ADAOMORELLATTO
 
Fonte: MDIC, BACEN E SRF.


 

Fonte: Adão Morellatto
Ver outras Notícias do vinho
2021 Artwine - Todos os direitos reservados