Scancio, um vinho elaborado a seis mãos

Arthur Azevedo

20/04/2011

Uma das mais difíceis missões que um ser humano pode enfrentar é falar de uma criação sua. O pai sempre tem bons olhos para seus filhos, o criador sempre tende a ser condescendente com a sua criatura. Digo isso como preâmbulo para esse artigo, pois vou contar a história do primeiro vinho que tenho a honra de assinar o rótulo, o Scancio, um vinho elaborado para homenagear os sommeliers do Brasil e de Portugal.

O projeto nasceu de uma idéia do sommelier, ou melhor, escanção, português José Carlos Santanita, premiado profissional que durante muitos anos trabalhou no famoso restaurante Galleria, da Herdade do Esporão, no Alentejo. Partindo para a ação, Santanita entrou em contato com um dos mais prestigiados enólogos de Portugal, Antonio Saramago, cujo trabalho ao longo de mais de 40 anos à frente de vinícolas como José Maria da Fonseca e posteriormente sua própria vinícola, a Antonio Saramago Vinhos, o credenciava para dar vida ao vinho dos sommeliers/escanções. Aceito o convite, chegou a vez do signatário dessa coluna ser cooptado para o projeto, representando os profissionais brasileiros, visto estarmos diretamente envolvidos com a formação dos sommeliers em nosso país, por meio da Associação Brasileira de Sommeliers-SP, entidade que tivemos o privilégio de presidir por duas vezes.

Não hesitei em aceitar a missão e a partir daí foram longos meses de trabalho voltados para a escolha das uvas, do tipo de vinificação, do tratamento em madeira e finalmente, a parte mais difícil e delicada, o corte final dos vinhos. Decidimos, os três, produzir duas versões do Scancio, uma mais acessível no curto prazo, à qual denominamos Scancio Reserva, e uma mais complexa e ambiciosa, para longa guarda, denominada Scancio Private Selection, ambas da safra 2008.

Scancio

O nome escolhido, Scancio, tem origem na Grécia e a palavra designava o encarregado do serviço do vinho. Os portugueses chamam esse profissional de Escanção, não dando margens a dúvidas sobre a origem do termo. No Brasil, usamos a palavra francesa Sommelier. Voltando aos vinhos, depois de muitas provas e deliberações conjuntas, chegamos ao consenso final sobre a composição dos mesmos. O Scancio Reserva 2008 é um corte de duas uvas clássicas do Alentejo, a Alfrocheiro e a Grand Noir, com passagem por barricas de carvalho francês por 12 meses, o que resultou num vinho acessível, com muita fruta, agradável e fácil de beber.

A outra vertente do projeto, que consumiu muitas horas adicionais de trabalho árduo para ser elaborada, o Scancio Private Selection 2008, é uma mescla de três uvas, obtidas de videiras plantadas no solo rico em xisto (ardósia) de Portalegre, a saber, Aragonês, Trincadeira e Alicante Bouschet, com amadurecimento por 24 meses em barricas novas de carvalho francês. O resultado foi um vinho de alta gama, intenso, complexo, elegante e sofisticado, com imenso potencial de guarda e a mais perfeita expressão do terroir alentejano.

Os vinhos Scancio são importados para o Brasil, com exclusividade, pela Vinissimo Importadora (www.vinissimo.com.br). Espero que vocês gostem dos Scancio tanto quanto eu gosto, mas não me peçam para escolher meu preferido, pois afinal de contas, os considero a ambos como filhos muito queridos. Saúde...

Ver outras Notícias do vinho
2020 Artwine - Todos os direitos reservados